Acert debate futuro da radiodifusão e liberdade de expressão

0
289
views

Em convenção estadual realizada pela Acert (Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão), profissionais do setor de radiodifusão debateram, entre outros temas, o planejamento estratégico para os próximos anos, o futuro do rádio com a migração para o FM e a questão regulatória.

O encontro nos dias 4 e 5, no Hotel Vila Galé, em Fortaleza, reuniu representantes das 189 rádios associadas da Acert, do Ministério das Comunicações, o governador eleito do Ceará, Camilo Sobreira Santana, além do presidente da Abert, Daniel Slaviero e do assessor jurídico da Associação, Cristiano Lobato Flores.

Em entrevista à imprensa, Slaviero destacou os avanços e desafios da radiodifusão, como a implantação da TV Digital e a migração do Rádio para a faixa de FM.

A presidente da Acert, Carmen Azulai, lembrou das campanhas desenvolvidas pela Acert em defesa do voto consciente e da segurança dos profissionais da imprensa. Segundo ela, nenhuma emissora do Ceará foi multada durante o período eleitoral, graças aos serviços prestados pela Acert no esclarecimento dos deveres e obrigações da radiodifusão.

Durante a 14ª Convenção Estadual da Acert,  foi lançado o Guia do Rádio e Televisão e assinado um convênio com o Banco do Nordeste, que dará ao radiodifusor da região linhas especiais de financiamento. Os recursos serão utilizados na compra de equipamentos e modernização do parque tecnológico de rádio e televisão com juros de 4,71% a.a e bônus de adimplência passando para 3,32% a.a.

A convenção também comemorou os vinte anos da Declaração de Chapultepec, com a assinatura dos participantes no documento. A Declaração é uma carta de princípios que coloca a “imprensa livre como uma condição fundamental para que as sociedades resolvam os seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam sua liberdade”. O documento assinado por chefes de estado, juristas e cidadãos comuns foi adotado pela Conferência Hemisférica sobre Liberdade de Expressão, em Chapultepec, no México, em 1994. O compromisso foi assumido pelo Brasil em 1996, com a assinatura do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ratificado por Luis Inácio Lula da Silva em 2006.

Fonte: http://www.abert.org.br/