Aesp faz 80 anos e debate a liberdade de imprensa e o futuro do rádio com a migração para o FM

0
213
views

Foi realizado no último final de semana, em São Paulo, o  “Encontro da Radiodifusão – Perspectivas para o futuro”. O evento abordou a migração do rádio AM, a publicidade no rádio, avanços tecnológicos do setor, entre outros. Promovido pela  Associação das Emissoras de Rádio e Televisão do Estado de São Paulo (AESP), o encontro comemorou os 80 anos as entidade paulista.

 O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, participou do encontro e  além de parabenizar a Aesp pelas oito décadas de existência, criticou a obrigatoriedade da “A Voz do Brasil” nas emissoras de rádio, considerando a obrigação como um ato sem sentido perante a existência de mídias não distintas nos dias atuais.

Durante o painel “Juntos somos mais fortes”, os presidentes das maiores entidades que representam a  radiodifusão: Daniel Slaviero (Abert); Rodrigo Neves (Aesp); Luiz Cláudio Costa (Abratel); Olímpio Franco (SET);  Alexandre Jobim (Air) e Walter Ceneviva (Abra), ressaltaram a importância da união entre as empresas do setor para buscar o fortalecimento econômico e também resguardar a garantia da liberdade de imprensa e de expressão.

Os presidentes foram unânimes ao defender a proteção do espectro para a radiodifusão seguir evoluindo e levando serviços de qualidade,  entretenimento e informação a toda a população brasileira.

No painel sobre a migração do rádio AM para o FM, A secretária de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Patrícia Ávila, falou que 94% dos processos que chegaram solicitando a migração já foram analisados. Ela explicou que ainda não é possível estimar um valor da mudança de outorga, já que o Ministério aguarda aprovação do Tribunal de Contas da União, mas ressaltou que a emissora terá a possibilidade de não concordar com o custo e desistir da migração.

O engenheiro da Abert, André Cintra, fez um panorama atual do processo de migração. Segundo ele, as consultas públicas e estudos técnicos já viabilizaram canais FM para a migração em várias cidades de 21 estados.

O mercado publicitário também foi debatido no encontro. O publicitário Alexandre Ugadin destacou a força do rádio, mas alertou para a necessidade de interligá-lo com as redes sociais para a criação de projetos especiais.

Fonte: http://www.abert.org.br/