EaD: Tendências tecnológicas para rádios

0
53
views

Streaming, podcasts, sites, redes sociais, inteligência artificial, aplicativos e publicidade foram alguns dos assuntos debatidos no curso de ensino a distância (EaD) “Novas Tecnologias para o Rádio: como usá-las a seu favor?”, transmitido na quarta-feira (5).

Os palestrantes Marco Túlio Nascimento, diretor da ZY Digital, e Cristiano Stuani, consultor de marketing e tecnologias para rádios, e o mediador Michel Micheleto, vice-presidente da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp) e diretor da Rádio Banda B, apresentaram as tendências tecnológicas do setor para quase 1,3 mil radiodifusores e profissionais do rádio.

Cristiano Stuani explicou a importância de a rádio garantir um streaming de qualidade para manter a audiência.

“Os ouvintes estão buscando, de outros locais, o streaming da rádio da sua própria cidade para saber o que está acontecendo ali. Se a qualidade de áudio não está boa, o ouvinte deixa de te ouvir. Então a qualidade do streaming, que depende da emissora, é muito importante”, defendeu Stuani.

Para Marco Túlio, a transmissão da programação pela internet complementa a transmissão tradicional.

“Pensar em não estar na internet é um erro, ao mesmo tempo que não estar no ar, que tem 92% de penetração na população, é outro. É preciso entregar um conteúdo premium (de qualidade) – a exemplo das fake news, que o rádio é destaque no combate e na produção de conteúdo de credibilidade – e também entregar um espaço publicitário premium para o anunciante. Assim, você poderá vender sua publicidade a um preço razoável e ter a sustentabilidade do seu negócio”, explicou ele.

O mediador Michel Micheleto aproveitou para ressaltar a importância da produção de conteúdo de qualidade em todas as plataformas em que a rádio for trabalhar. “A tecnologia não tem como ajudar você se você não tiver conteúdo”, afirmou Micheleto.

Durante o EaD, a radiodifusora Fabíola Franco, da Rádio Cultura Sul FM de São Mateus do Sul (PR), enviou mensagem sobre a preocupação da emissora de transmitir a programação por vídeo e pediu dicas sobre o uso da câmera no estúdio. Para os palestrantes, a câmera deve ter um objetivo.

“Você pode ligar, por exemplo, para transmitir uma entrevista com artista famoso e avisar na programação. É até um momento de alavancar seus seguidores nas redes sociais e no seu site. As rádios que trabalham com jornalismo podem aproveitar isso ainda mais”, destacou Micheleto.

O EaD continuará disponível na íntegra na plataforma.

Para entrar, acesse https://aerp.org.br/novo/ensino/categorias/cursos/.

Fonte: Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão – ABERT