Emissora de Rádio e TV do RS doaram mais de R$ 63 milhões em mídia social em 2013

0
300
views

A Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e TV (AGERT) apresentou na manhã desta quinta-feira, 25 de setembro, a décima edição do Relatório Social da Entidade. A publicação registra que as emissoras gaúchas doaram mais de R$ 550 milhões em mídia na última década. Em 2013, o projeto da Agert teve adesão histórica de emissoras filiadas,232 associadas doaram R$ 64.383.778,26 em mídia para a sociedade gaúcha, através de projetos comunitários, assistenciais, culturais, ecológicos, recreativos e de capacitação e sustentabilidade.

Os cases das emissoras se destacaram pelos indicadores de valores e transparência, participação dos colaboradores, envolvimento e mobilização da comunidade, ações voltadas ao meio ambiente e relação com o governo.

A décima edição do Relatório Social apresenta uma entrevista sobre Segurança Púbica com Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da Área de Estudos sobre Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), além de reportagem especial sobre o tema, que aborda a influência da mídia no trabalho dos órgãos de segurança do Estado.

O presidente da AGERT, Roberto Cervo (Melão), diz que é gratificante saber que os radiodifusores, como ele, contribuem para o benefício da sociedade, através do trabalho que realizam. “Estamos orgulhosos do valor contabilizado em mídia doada à sociedade. Alcançamos o nosso objetivo”, destaca. Melão afirma que esses resultados são indícios de que a responsabilidade para a AGERT é cada vez maior. “Precisamos trabalhar ainda mais para conquistar a adesão de todas as filiadas e mostrar a totalidade de nossa contribuição social para o Estado”. A AGERT possui atualmente 351filiadas e tem 100% de cobertura dos municípios gaúchos, atingindo mais de 11 milhões de pessoas.

Para a coordenadora do projeto e vice-presidente de capacitação, Myrna Proença, o Relatório vem mudando a cultura interna das emissoras, criando uma consciência social dos colaboradores, que como comunicadores, multiplicam a sua influência nos formadores de opinião das comunidades onde atuam. “Desta forma vai se desenvolvendo uma cultura de responsabilidade social em todos os âmbitos sociais. Este processo acaba assumindo um dinamismo próprio ao longo do tempo”.

 O Relatório foi instituído pioneiramente em 2004 para que os veículos da radiodifusão aprofundassem os vínculos com as suas comunidades. A ação procura dar mais transparência e visibilidade à contribuição que as emissoras realizam, através de diversas formas de apoio a projetos de interesse público.

Fonte: http://www.radiofandango.com.br/