Ibope: rádio é mobile desde seu surgimento

0
338
views

Ainda que a realidade digital seja recente, o rádio possui em seu DNA atributos de mobilidade desde seu surgimento, há mais de um século. E essa característica reforça seu posicionamento de ser companheiro, presente em qualquer lugar e a qualquer momento. Segundo o estudo Antropomedia, realizado em diferentes regiões do Brasil e países para compreender o significado e relacionamento das pessoas com os meios, o rádio foi relacionado a momentos de distração e companhia pela maioria dos entrevistados.

Som para todos os gostos

Ao unir essa característica mobile às novas possibilidades geradas pelo consumo online, bem como a recepção do sinal em diferentes tipos de aparelho, o meio rádio ultrapassa as barreiras físicas e tem um novo significado ao ser disseminado no horizonte digital. Sua pluralidade de conteúdo agrada a diferentes gostos e pessoas, uma vez que, considerando todas as formas de consumo de áudio:

78% ouvem música (Smart app Música Smart app + Celul App Música + Tablet App Música + Videos de Music 30d [+01/15] + Video de Music SmartTV [+01/15] + Ouve música (qualquer período) + Música na Internet + Video Music Diversos aparelhos)
34% escutam conteúdos relacionados à emoção (Programas Humorísticos/ Comédias + Conselhos/ Opiniões + Moda e Estilo + Entrevistas/ Programas falados + Esportes ao vivo + Comentários Esportivos + Radionovelas + Programas Religiosos)
41% informação (Noticiários Internacionais + Noticiários Locais + Noticiários Nacionais + Notícias policiais + Notícias de trânsito + Notícias do tempo)

Desta forma, o som permeia todos os ambientes e situações, fazendo com que

93% da população seja impactada por algum formato de áudio, segundo dados do estudo TG.net .

Rádio online

Ao ouvir rádio online:

49% dos internautas utilizam notebook
45% ouvem por celular ou smartphone
32% no desktop
8% por tablet

Neste aspecto, ainda que a internet tenha ampliado a possibilidade de contato com emissoras de diversas localidades, vale ressaltar que:

83% dos ouvintes de rádio online ouvem emissoras locais, segundo uma pesquisa realizada pela Kantar IBOPE Media.

Rádio x tecnologia x consumo

Ao analisar o cenário de áudio como um todo, podemos segmentar os ouvintes em cinco grupos, a partir do Target Group Index:

Desantenados, Desplugados e Usuários Comuns: tendem a ser mais maduros, de classes socioeconômicas médias a baixas e escutam rádio todos os dias, por meio de aparelho comum, para entretenimento, informação e atualização de noticias.
Antenados e Tecnológicos: são voltados para o consumo em simultaneidade com outras mídias, proporcionado pelo uso de diferentes aparelhos, como tablet e smartphone, tendem a ser mais jovens e de classes mais altas.

Esse novo grupo de consumidores representa um mercado potencial a ser explorado, tanto para anunciantes buscando estabelecer vínculos de suas marcas com consumidores, como de meios buscando engajar suas audiências; devido a sua característica não linear de mídia, que possibilita a interação em diversos momentos ao longo do dia.

Neste ambiente de transformação, se torna cada vez mais importante se manter informado. Quanto mais a mídia se expande, aumenta a complexidade e a necessidade de se acompanhar os hábitos e comportamentos do consumidor para antecipar as tendências e criar inovações que atendam às necessidades desse consumidor.

FONTE: Kantar Ibope Media

O post Ibope: rádio é mobile desde seu surgimento apareceu primeiro em Portal Aerp.