Rádio ainda é o método preferido dos americanos para descobrir novos artistas.

0
354
views
As ferramentas de recomendação baseadas no gosto dos usuários de serviços como Spotify, Rdio e Deezer podem ser bastante precisas ao “prever” o que as pessoas gostam de ouvir baseadas em seu histórico. Mas, para a maioria dos consumidores americanos, o rádio ainda é o lugar preferido para descobrir novos artistas, grupos e canções.
A mais recente pesquisa da Nielsen para investigar os gostos do mercado dos Estados Unidos e seus hábitos na hora de ouvir música apontou que, ao todo, 61% dos americanos contaram que descobrem novos artistas pelo rádio, seja AM/FM ou por satélite. Um aumento de 7% em relação ao ano passado. Enquanto isso, 65% dos adolescentes afirmam preferir o bom e velho boca a boca: as recomendações dos amigos e da família são cruciais para apresentar-lhes novidades.
Ir a shows também está voltando a ser um modo popular para conhecer novos artistas, com 12% das pessoas dizendo que eventos ao vivo ainda são importantes para isso. Metade dos americanos alega ter ido a shows nos últimos 12 meses, e 11% frequentaram festivais no mesmo período. No mesmo campo, a pesquisa apontou que os gastos com ingressos – seja de clubes de jazz, shows intimistas ou festivais – representam 50% das despesas relacionadas à música dos americanos.

APENAS 9% DOS AMERICANOS DIZ NÃO CONSUMIR MÚSICA

A pesquisa apontou ainda que apenas 9% dos americanos não se consideram consumidores de música. Para os outros 91% da população, os que costumam ouvir música regularmente, a média de audição costuma ser de 24 horas por semana.
Com a popularização dos serviços de streaming, claro, o modo de se consumir música está mudando. Três quartos da população, ou seja, 75% das pessoas, estão ouvindo seus artistas favoritos online, um crescimento de 10% em relação ao ano passado. A concorrência entre os serviços de streaming, com o acréscimo do polêmico Tidal e da gigante Apple Music na disputa, nunca foi tão grande.
PARA OS USUÁRIOS DESTES SERVIÇOS, OS MAIORES FATORES DE ATRAÇÃO SÃO O PREÇO E A FACILIDADE DE NAVEGAÇÃO EM SUAS PLATAFORMAS. OITO EM CADA DEZ ENTREVISTADOS CITAM TAMBÉM A QUALIDADE OU O TAMANHO DO CATÁLOGO COMO O TERCEIRO ITEM MAIS IMPORTANTE.
Como consequência destes novos hábitos, o número de canções consumidas digitalmente também tem aumentado rapidamente. Em 2014, segundo a Nielsen, os americanos fizeram streaming de 164 bilhões de canções. E somente entre janeiro e junho de 2015 o número de faixas executadas já bateu a marca dos 135 bilhões.
Dispositivos móveis, como smartphones e tablets, também desempenham um papel cada vez maior neste mercado: 44% da população ouve música em aparelhos móveis, 7% a mais do que no ano passado.
Fonte: http://www.loucosporradio.com.br/